Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Com pintas qb

Com pintas qb

Mais de 90 mortos em 4 meses de incêndios? Mas isto é possível?

Falhas, seguidas de mais falhas. Inadmissível. Não dá para acreditar que estamos entregues a responsáveis que assobiam para o lado cada vez que são confrontados com factos de evidente descoordenação. Depois de tanta trapalhada ainda conseguem se justificar com os erros do passado? E os erros do presente? Ficam para o próximo governo poder se queixar do anterior? Mas não há ninguém com bom senso que perceba que as políticas adotadas até agora pelos sucessivos governos, este inclusive, estão obsoletas?! Quem encabeça esta orquestração? Mudem a música porque esta lengalenga já não convence. Se não está a resultar, há que mudar. 31 mortos e mais de 51 feridos não é já número suficiente para juntar às inúmeras perdas dos últimos tempos?! CREDO!!!!! São pessoas!!!! São pessoas, são animais, são bens, são histórias,... 

Mudem o que têm de mudar. Nova distribuição de cargosnovas chefias, novos modos de encarar o problema que resultem em novas formas  abordar as situações e de perspetivar soluções a longo prazo

Chega de apresentar mais do mesmo.  Basta de resignações e de abraços de conforto. Aja-se!!!! Onde está efetivamente a prevenção? Limpeza das matas pelos proprietários? Mas isso é alguma piada? Num interior maioritariamente envelhecido e de fracos recursos? Acham que essas medidas bastam? Mas há mais medidas???!!!! Estão a fazer-se estudos?!!!! E o vento?! Ai o triste vento e o calor e a seca e o furacão e o mi mi mi mi e o mo mo mo. Really? Ficamos por isto? Mais de 90 mortos em 4 meses e é isto, senhora ministra? Todos nós temos que adotar medidas preventivas? E os que não o fazem? E aqueles que fazem exatamente o oposto? Como se tratam? E tratar exemplarmente aquelas "maozinhas" criminosas? Enquanto as medidas aplicadas não forem verdadeiramente dissuadoras temo que se vão repetir cada vez mais os casos de reincidentes que depois de identificados voltam comodamente para as suas casas. E sem se dar por isso, num dia de sol quentinho e de brisa fácil, a história repete-se com todos os seus intervenientes. Os mesmo chefes, nos mesmos cargos, com as mesmas dinâmicas, a operar da mesma forma,  permitem que as mesmas noticias se deem aos mesmos portugueses, a quem os mesmos políticos se dirigem com as mesmas palavras.